16 de abril de 2017

Governo do RN anuncia concurso Sejuc RN 2017 agente penitenciário

- O Governo do RN anunciou, no último dia 4, Lei Complementar Nº 594, que define a criação 530 vagas o para concurso Sejuc 2017 agente penitenciário. O concurso público visa o reforço do quadro de pessoal da Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania do Estado do Rio Grande do Norte (Sejuc/RN).

A SEJUC - Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania do Rio Grande do Norte anuncia novo concurso público no RN para o cargo de agente penitenciário. No último dia 4 de abril, o governador Robinson Faria, divulgou a lei complementar nº 594, que cria 530 vagas para a carreira de nível superior, com remuneração inicial de R$ 3,1 mil.

Para concorrer ao cargo de agente penitenciário é necessário possuir curso de nível superior completo, em qualquer área, idade de 18 a 45 anos e carteira de habilitação.A remuneração inicial da categoria é de R$ 3.153, com jornada de oito horas diárias ou escala de plantão 24/72 horas.

A comissão do concurso SejucRN foi constituída no dia 24 de março, e será presidida pelo subsecretário de recursos humanos do SEARH, Werbert Benigno. A contratação dos aprovados será feita de acordo com o regime estatutário.

Seleção anterior

O último concurso da sejuc rn foi para o cargo de agente penitenciário, ocorreu em 2009, quando foram oferecidas 400 oportunidades, sendo 320 para homens e 80para mulheres. A banca organizadora, na ocasião, foi a Consulplan.

A seleção foi composta de cinco fases, incluindo provas objetivas,exame de capacidade física, avaliação psicotécnica, investigação social e curso de formação profissional.

A parte objetiva contou com 60 questões, sendo 15 de língua portuguesa, 15 de atualidades e 30 de conhecimentos específicos. Em língua portuguesa e atualidades, cinco tiveram peso um e dez, peso dois. Em conhecimentos específicos, dez tiveram peso um, dez com peso 1,5 e dez com peso 2,5.

Conheça as Atribuições para o cargo de agente penitenciário da SejucRN

As atividades dos agentes são as seguintes: Garantira ordem e segurança no interior dos estabelecimentos prisionais, bem como em órgãos e locais vinculados ou de interesse do sistema prisional; atuar em suas ações, como agente garantidor dos direitos individuais do preso; acompanhar os processos de reeducação, reintegração social e ressocialização do detento; exercer as atividades de atendimento, vigilância, custódia, guarda, assistência e orientação de pessoas recolhidas aos estabelecimentos penais; verificar as condições de segurança da unidade em que trabalha e inspecionar as celas e demais instalações físicas, apreendendo objetos suspeitos; receber e orientar presos quanto às normas disciplinares, divulgando os direitos, deveres e obrigações conforme normativas legais; zelar pela disciplina e segurança dos presos, evitando fuga e conflitos; preencher formulários, redigir e digitar relatórios e comunicações internas;controlar a entrada e saída de pessoas, veículos e volume das unidades prisionais, conforme normas específicas da unidade; efetuar revistas pessoais juntos aos detentos e demais pessoas que adentram na unidade, apreendendo objetos suspeitos ou não permitidos; realizar a contagem diária e revista nos detentos da unidade prisional; conduzir e acompanhar em operações de transporte, escolta e custódia,os presos dentro das unidades prisionais ou em movimentações externas(audiências, hospitais, etc..), bem como de transferências interestaduais ou entre unidades no interior do estado; efetuar controles diversos, registrando e comunicando as ocorrências de acordo com as normas da unidade; fiscalizar o comportamento da população carcerária, observando os regulamentos e normas em vigor; prestar assistência aos presos e internados, encaminhando solicitações de assistência médica, jurídica, social e material ao preso; prestar assistência em situações de emergência: primeiros socorros, incêndios, transporte de enfermos, rebeliões, fugas e outras assemelhadas; prestar segurança a profissionais diversos que fazem atendimentos especializados aos presos nas unidades prisionais; acompanhar e promover atividades laborativas e educacionais desenvolvidas pelos internos nas unidades; exercer as funções de chefe de equipe e participar de comissões de classificação e disciplina, quando designado; executar outras atividades correlatas com a formação, função e área de atuação ou que vierem a ser incorporadas ao cargo por força de dispositivos legais.

Fonte por JC Concursos / Folha Dirigida.

Postagens Recomendadas × +