6 de setembro de 2017

Apostilas Concurso Câmara de BH - MG - Técnico Legislativo II 2017

Câmara Municipal de BH (MG) anuncia abertura de inscrições do concurso público para quadros efetivos da CMBH. Ao todo, 98 vagas estarão disponíveis. Remuneração varia entre R$ 3.187,25 e R$ 7.853,62.



O presidente da Câmara de Belo Horizonte, Henrique Braga, anunciou o nome da empresa contratada para realizar Concurso Público 
para provimento de vagas existentes no quadro permanente da CMBH - MG.

Com objetivo de prestação de serviços técnicos especializados visando ao planejamento, à organização, à coordenação e à execução, fica a Consuplan - Consultoria e Planejamento em Administração Pública Ltda, responsável pela a execução do certame.

No novo concurso Câmara BH, não haverá a criação de novos postos de trabalho, mas apenas a reposição de pessoal nos cargos que atualmente se encontram vacantes. Para tanto, serão disponibilizadas as seguintes vagas: Técnico de Enfermagem (1); Técnico de Saúde Bucal (2); Técnico de Segurança do Trabalho (2); Técnico Legislativo II (54); Analista de Tecnologia da Informação - área de Desenvolvimento de Sistema (1) e área de Infraestrutura de Sistema (1); Arquivista (2); Consultor Legislativo - área de Administração Pública, Orçamento e Finanças (4), área de Saúde Pública (1) e área de Ciências Sociais e Políticas (2); Coordenador do Processo Legislativo (11); Dentista (2); Engenheiro Civil (2); Médico clínico (1); Redator (2); Psicólogo - área clínica (1) e área organizacional (2); Procurador (7).

A remuneração prevista varia entre R$ 3.187,25 e R$ 7.853,62 e a jornada de trabalho será de 30 horas semanais, para a maioria dos cargos.

Adquira aqui: apostilas para o concurso Câmara de BH
Técnico Legislativo II CMBH - MG 2017: Ver detalhes.

Apostilas Concurso Câmara de BH - MG - edital 2017

Concursos anteriores

A Câmara realizou concursos públicos em 2004 e 2008, sendo que este último teve a validade expirada em 2013.

Em 2015, edital de concurso público aberto pela Casa foi revogado por recomendação do Ministério Público, que ajuizou ação para anular o convênio com a empresa selecionada para aplicar o concurso. O entendimento era o de que a entidade não atendia aos requisitos legais para contratação direta.

Fonte: Superintendência de Comunicação Institucional Câmara BH.

Postagens Recomendadas × +